Terça-feira, 13 de Março de 2007
"Termino aqui a carreira com muito gosto"
                Entrevista  Capitão Rafael
 
Como começou a tua aventura no CCRM ?
R:Começou tinha eu 15 anos. Lembro-me que nos torneios de verão gostava de ajudar os mais velhos. O principal responsável de eu começar no CCRM foi o António Mendes mais conhecido por “Tónio Bigodes”.
 
Conta lá a tua carreira futebolística:
R:Tudo começou na cozinha, fazia dos pacotes de arroz bolas de futebol devido à minha mãe que me escondia as bolas porque eu partia tudo em casa. Depois já com mais juízo dos 15 aos 18 anos joguei nas camadas jovens do F.C.Vizela. Aos 18 anos fui para o Infias de onde saí aos 21. A partir daí e até aos 30 que tenho foi sempre Montesinhos e até as pernas deixarem será no Montesinhos que terminarei a carreira e com todo o gosto.
 
O que mais te marcou positivamente ?
R:Sem dúvida o título de campeão da 2ªDivisão e a taça Cidade-Berço no mesmo ano. Tinhamos uma grande equipa pena foi no ano seguinte não nos deixarem ser campeões na 1ªDivisão devido a um senhor do apito.
 
E negativamente ?
R:Quando facturei a clavicula nesse ano dourado e logo de seguida a perda de um grande homem que era o meu tio Domingos Faria, um eterno defensor do CCRM.
 
O melhor no clube ?
R:O espírito de camaradagem que existe no grupo e os jantares que o clube oferece.
 
O pior ?
R:A presença dos associados nas assembleias que é quase nula. Depois fazem comentários disparatados quando podiam saber tudo nas assembleias e fico desagradado com a envolvência que isso acarreta.
 
Maior sonho ?
R:Estaria a mentir se não disse-se que é o campo de futebol mas felizmente nunca fui em cantigas dos politicos por isso não é o que mais ansejo mas sim um projecto que tenho em mente que é   dar melhores regalias para os associados.
 
Estás satisfeito com os teus colegas, sentes-te bem no grupo ?
R:Penso que melhor seria dificil. Sinto-me um jovem de 20 anos no meio de toda esta juventude.
 
Como é ser capitão do Montesinhos ?
R:Eu aprendi a respeitar todos os meus colegas ao longo destes anos e penso que ninguém me pode apontar o dedo. Quando eram outros colegas a capitão sabia os respeitar. É evidente que sendo eu o capitão tenho que ser um líder, um amigo, um exemplo para todos os outros e nisso penso que estou a cumprir . É um orgulho que sinto em usar a braçadeira, até me ajuda a ser menos intempestivo com os árbitros.
 
O teu futuro no clube... Sei que já tens trinta aninhos...
R:Bem essa é dificil. Tenho que pensar também na família. Mas espero jogar pelo menos mais uma época. Depois se verá mas sinceramente tirando o futebol, o meu papel como tesoureiro, secretário e mais alguns serviços que faço em prol do clube estão a deixar-me cansado. Está na altura de os mais novos começarem a trabalhar para o clube pois eu também comecei muito novo.
 
Uma palavra para...
 
Associados:
R:Continuem a apoiar se puderem ainda mais.
Direcção:
R:No geral estou contente. No apoio ao futebol é um espectáculo não nos falta nada.
Atletas:
R:Nos jogos temos que ser como à mesa no levantamento dos copos. Vamos acreditar ainda mais e os resultados vão ser melhores concerteza. Deixem os outros serem os bons mas nós temos que ser os melhores.
Treinadores:
R:Não tenho palavras para descrever esses dois homens, basta ver os pedidos que lhes são feitos e as presenças dos atletas nos treinos.
Massagista:
R:Um verdadeiro massagista que seja para contínuar assim como os misters.
Última palavra:
Aos amigos Gil e Minique: Vamos buscar o campeonato para o ano, juntos.
 
E assim terminou mais uma entrevista desta vez com o capitão Rafael o tal “Rafa 30” das mensagens no blog. Devo dizer que o Rafael é um verdadeiro faz tudo no clube desde atleta, capitão, secretário, é o representante do clube na Associação, responsável pelos equipamentos, marca exames médicos até quando é preciso quer fazer as fichas dos jogos mas aí não tem ordem para tal. Para o Rafael desejo toda a sorte do mundo, não pela forma como nos recebeu em sua casa (também não nos podemos queixar) mas por todos estes anos dedicados intensamente ao clube e estamos convictos que serão muitos mais pois é indispensável ao clube.
 
        Pena foi a forma como se despediu de nós, vejam...
 
 


ccrmontesinhos às 17:51
| comentar
|

arquivos